quarta-feira, 20 de setembro de 2017

BON JOVI - PORTO ALEGRE, 19 DE SETEMBRO DE 2017

Foto: BJA
Por Márcio Grings

Impossível não afirmar que o Bon Jovi sobreviveu ao teste do tempo. Por mais que suas músicas não estejam vinculadas a nenhum movimento revolucionário do rock, a obra do grupo continua tocando nas rádios e tocando os corações dos fãs. Você pode não ter um único disco do grupo na sua coleção, no entanto, certamente sabe cantar o refrão de algum de seus hits. 35 anos de atividade, 13 álbuns de estúdio e mais de 130 milhões de álbuns vendidos, números que definem a importância do Bon Jovi. E após passar por Chile e Argentina, com cerca de 40 mil pessoas lotando o Estádio Beira-Rio em Porto Alegre, o “This House Is Not For Sale Tour 2017” começou a etapa brasileira da turnê sul-americana nesta terça-feira (19). Depois da Capital gaúcha, a banda ainda é headliner no Rock in Rio (22) e no São Paulo Trip (23). 

Em frente ao palco durante a apresentação do The Kills, banda de abertura da noite. Foto: Ton Muller
Início de noite em Porto Alegre, antes da atração principal, chance de ver por aqui o The Kills, duo formado em Los Angeles pelo guitarrista Jamie Hince e pela cantora Alison Mosshart. Engraçado perceber o estado de consternação de parte do público batendo cabeça e não entendendo (ou não fazendo o mínimo esforço para curtir) um dos bons nomes do indie-rock atual. O Kills se apresentou como se estivesse frente a sua plateia (ou confrontando-a). Quem não parou para ver, perdeu. A impressão é que eles se divertiram. 

Foto: BJA


21h20, 10 minutos antes do horário previsto, a boa música que dá nome ao tour e que batiza o último álbum abre o espetáculo. No palco Jon Bon Jovi (voz, violão e guitarra), David Bryan (teclados e voz de apoio), Hugh McDonald (baixo e voz de apoio) e Tico Torres (bateria). Algumas viúvas de Richie Sambora, guitarrista/compositor do grupo sacado do time em 2011, devido à reincidência com alcoolismo e problemas extra palco, ainda torcem o nariz para seu substituto, o canadense Phil X (guitarra e voz de apoio). Mas certamente a grande maioria nem se importa. Todos os olhos para a maior estrela no palco. Ainda atuam os músicos John Shanks (Joe Cocker, Sheryl Crow), na guitarra e voz de apoio (ele que também produziu o último álbum), além de Everett Bradley (Cyndi Lauper, Bruce Springsteen), homem da percussão e backings.

Veja vídeo com retrospecto de vários momentos do show. Por Ton Muller

Ao olhar para o público antes do espetáculo - e durante decorrer do evento - tenho a impressão que há uma proporção de sete mulheres para cada dez pagantes, invasão de camisetas e bandanas do Bon Jovi e predominância do espirito feminino e muitos (eu disse MUITOS!) gritos das fãs (nunca ouvi tantos num show de rock). Basta um sorriso da figura simpática no centro do palco... E milhares de gritos de multiplicam! Dá pra dizer que poucas vezes assisti ao vivo um show com tamanha interação entre banda/artista e público em 2h45 de espetáculo.  

Foto: BJA
Quando o grupo coloca na pauta grandes sucessos como “Raise Your Hands”, “You Give Love a Bad Name”, “Born to Be My Baby” e “Bed of Roses” celulares brilham e  milhares de vozes ecoam no Beira-Rio. Para delírio dos fãs, em "Bad Medicine" Jon interage tête-a-tête com a plateia em frente ao palco (veja vídeo no final desta postagem). Já quando a banda sai do trilho e apresenta novas canções ou temas menos conhecidos como “Roller Coaster “ ou faixas menores como “Blood on Blood” (uma tentativa de soar como Bruce Springsteen), oportunidade de comprar um lanche, recalibrar o copo ou dar uma cruzada pelo banheiro. Quanto aos melhores momentos, nada supera o ápice catártico de “It’s My Life”, um dos temas mais populares da banda e número perfeito para grandes arenas.  E o que falar da despedida com “Livin' on a Prayer”? Bonito de ver as luzes colorindo a multidão e o refrão cantado em uníssono. Certamente um show que será lembrado pelo fãs como um momento único.

No meu caso, já que na próxima semana estamos no mesmo território do próximo grande evento em PoA, a primeira lembrança ao sair do estádio não poderia ser outra: “que venha o Who!”. Outro show histórico se aproxima. E esse deve atingir meu coração em cheio.  

Confira o setlist completo:

Bon Jovi - Beira-Rio

This House Is Not for Sale
Raise Your Hands
Knockout
You Give Love a Bad Name
Born to Be My Baby
Lost Highway
Because we can
I'll Sleep When I'm Dead
Runaway
We got it going on
Someday I'll Be Saturday Night (versão acústica)
Bed of Roses
It's My Life
Who Says You Can't Go Home
Rollercoaster
Wanted Dead or Alive
Lay Your Hands on Me
Have a Nice Day
Keep the faith
Bad Medicine

Bis

In These Arms 
Blood on Blood
Living on a Prayer

E abaixo, veja o momento em que o cantor desceu até o público e fez a alegria dos fãs da primeira fileira (registro @andre_sma).


Veja mais fotos do evento pelo fotógrafo Ton Muller.

Foto: Ton Muller

Foto: Ton Muller

Foto: Ton Muller

Foto: Ton Muller

Foto: Ton Muller

Foto: Ton Muller


Foto: Ton Muller

Foto: Ton Muller


Foto: Ton Muller

Foto: Ton Muller


Foto: Ton Muller


Um comentário:

  1. Mesma impressão que eu tive...muita mulher....
    Asorei o show!!o cara é fera!!

    ResponderExcluir

ÚLTIMA COBERTURA:

GLENN HUGHES - PORTO ALEGRE, 28 DE ABRIL DE 2018

Inscreva-se no canal Foto: Ton Muller Por Márcio Grings Fotos Ton Muller Glenn Hughes viveu - e ainda vive - uma vida de rock'...