domingo, 30 de setembro de 2018

THIRTY SECONDS TO MARS - PORTO ALEGRE, 29 DE SETEMBRO DE 2018

Foto: Glauco Malta
Review: Ana Bittencourt Fotos: Glauco Malta 

Eu sobrevivi ao apocalipse. Essa era a minha sensação quando saí do Pepsi On Stage na noite de sábado (29). Para mim e provavelmente para grande parte dos presentes no evento, o princípio do hecatombe pop que tomou a capital gaúcha, com Thirty Seconds to Mars e seu The Monolith Tour. Em uma apresentação enxuta – inicia pontualmente às 21h e encerra uma hora e 20 minutos depois – os irmãos Leto mostram porque a banda está em sua melhor fase.

Durante o show, bem conduzido e brilhantemente executado, ninguém percebe que o vocalista Jared Leto esta resfriado, conforme anunciou em seu Instagram no dia anterior. A não ser pelo tempo de apresentação, sem o tradicional retorno ao palco para o bis, ninguém diria que a noite passou rápida demais. Jared e o irmão, Shannon Leto, alimentam a platéia com músicas do novo álbum, “America”, e também com clássicos de discos anteriores, como “The Kill (Bury Me)” e “From Yesterday”. No total, 16 canções foram entregues à platéia, seguindo o mesmo setlist tocado em São Paulo, na última quinta-feira (27). Em Porto Alegre, apenas a música “Do or Die” fica de fora do setlist.

Foto: Glauco Malta
Jared Leto merece um parágrafo à parte. Simpático e eficiente nos vocais, o vocalista premiado com o Oscar de Melhor Ator Coadjuvante por sua atuação em “Clube de Compras Dallas” (2013) – sim, Jared tem uma carreira consolidada no cinema – entra no palco vestindo um caftan (espécie de kimono colorido, vestimenta tradicional no Oriente Médio). À vontade diante da platéia, formada por fãs de todas as idades, Leto é sedutor e retém todas as atenções, mas não esquece de deixar que seu irmão, Shannon Leto, também ganhe destaque, tanto na execução das músicas, quanto no momento em que o baterista larga as baquetas para cantar “Remedy” à frente do palco. Jared Leto é um showman: canta, encanta, diverte, interage com o público e o mais importante: sente prazer em estar no palco.

Foto: Glauco Malta
Na minha visão de jornalista que não apenas observa um espetáculo para registrá-lo na memória, mas também para documentá-lo num Review, o público presente no Pepsi On Stage é uma surpresa que precisa ser mencionada. Saí de casa esperando uma plateia formada basicamente por adolescentes, mas me enganei ao encontrar uma legião heterogênea de fãs. Ao meu lado, o amigo, radialista e músico Paulo Inchauspe, veio para ver o show, mas fez questão de trazer o primogênito João para estrear em seu primeiro show, aos 15 anos, justamente com a Thirty Seconds to Mars. Nada mal começar a vida nessa cachaça de assistir shows diante dessa banda apocalíptica.

Por fim, com todas as expectativas superadas, os irmãos Leto me deixam com a sensação de que vale a pena enfrentar uma noite de tempestade para estar no olho do furacão. Com uma promessa de voltar à Porto Alegre, Jared Leto me conquistou e já me convenceu: estarei novamente na plateia, com absoluta certeza.

Foto: Glauco Malta
Grings - Tours, Produções e eventos agradece especialmente a Jéssica Barcelos Salgado-Martins (Agência Cigana), pelo suporte e assessoria. A próxima apresentação do TSTM é em Curitiba, neste domingo (30), no Teatro Positivo. 

Foto: Glauco Malta

Confira o setlist:

Monolith
Up in the Air
Kings and Queens
This Is War
Dangerous Night
From Yesterday
Love Is Madness
Hail to the Victor
Live Like a Dream
City of Angels
Rescue Me
Hurricane
Remedy
The Kill (Bury Me)
Walk on Water
Closer to the Edge

Nenhum comentário:

Postar um comentário

ÚLTIMA COBERTURA:

NICK CAVE - SÃO PAULO, 14 DE OUTUBRO DE 2018

Foto: Edi Fortini Por Cristiano Radtke Fotos Edi Fortini  “Todos os artistas são decepcionantes ao vivo após assistirmos Nick Ca...