quarta-feira, 23 de agosto de 2017

MR. BIG - PORTO ALEGRE, 22 DE AGOSTO DE 2017

Fotos: Ana Bittencourt
Texto Márcio Grings Fotos Ana Bittencourt

O Mr. Big é uma daquelas bandas que invariavelmente lanço um olhar carinhoso. Mesmo sem ser fã de carteirinha, ao longo de quase 30 anos em que esbarro nas canções do grupo tocando no rádio (por exemplo), aumentar o volume é uma consequência imediata. Assim como vários amigos que já tiveram a experiência de vê-los ao vivo sempre me alertavam o quão sensacional a banda se torna em frente ao público. Em sua terceira passagem pelo RS, a impressão que temos é que os músicos estão tocando em Los Angeles, no quintal de casa, tamanho o carinho que o quinteto encontra no palco do Opinião nesta terça-feira (22). É como se fosse um time jogando em frente à torcida  

Foto: Ana Bittencourt
Eric Martin (voz e violão), Paul Gilbert (guitarra e voz), Billy Sheehan (baixo, harmônica e voz) e Matt Starr (bateria e voz) começam a apresentação às 21h em ponto com “Daddy, Brother, Lover, Little Boy”, onde de cara percebemos que a dupla Gilbert/Sheehan poderia ‘jogar’ no Harlem Globetrotters, lendária equipe de basquetebol conhecida por fazer de suas partidas uma mistura de entretenimento e habilidades performáticas. E o malabarismo musical inclui ferramentas como até uma furadeira elétrica utilizada como assessório para os solos. Esse é um dos espíritos primordiais do espetáculo: os caras estão se divertindo, assim como esse clima festivo vaza fácil até a plateia. E tudo isso sem soar como algo egocêntrico ou chato, a apresentação do Mr. Big é pura demonstração do quão animado um show de rock pode ser.

Pat Torpey. Foto: Ana Bittencourt
No início do jogo, como atletas experientes que são, eles vão aquecendo os músculos aos poucos - é o que vemos em “American Beaty” e “Undertow”. A cesta de 3 pontos entra direto e sem bater no aro em “Alive and Kicking”, quando Pat Torpey, baterista da formação original, surge no palco e é ovacionado pela audiência. Há mais de três anos, Torpey luta contra o Mal de Parkinson, e mesmo impossibilitado fisicamente de executar os desenhos musicais que criou, ele ainda está nas fotos de divulgação e como percussionista na turnê. No novo álbum, “Defying Gravity”, Pat atua como produtor de bateria, além de continuar fazendo harmonias vocais que são importantíssimas para o som do grupo. Desde 2014, Matt Starr foi efetivado como baterista nos tours (e agora também de estúdio). E durante o show, mesmo que seja apenas em uma música, Pat Torpey retorna ao seu instrumento de origem na balada “Just Take My Heart”. Claro que foi emocionante vê-lo sorrindo no comando das baquetas.

Foto: Ana Bittencourt
“Take Cover” ganha o coro do público como se fosse um hino. E é!  “Green-Tinted Sixties Mind” é parte da matéria prima essencial para entender o som de Paul Gilbert, um guitarrista que nunca deixa de nos lembrar do quanto o rock pode ser picaresco. “Everybody Needs a Little Trouble”, single/videoclipe que foi um dos bois de piranha a anunciar o lançamento de “Defying Gravity” (novo álbum do grupo que acaba de ser lançado), parece uma velha canção pronta a figurar num Greatest Hits. “Price You Gotta Pay”, um hard blues que subverte a linhagem negra do gênero nascido às margens do Rio Mississippi conta ainda com o a gaita de boca endiabrada de Sheehan. No momento solo de Gilbert, os aficionados por arpejos e demonstrações de virtuosismo com a vibe de zoação do gutarrista, levantam os copos de cerveja e estimulam o músico a prosseguir seu show particular. Eu vou ao banheiro. Logo após, “Take a Walk”, uma das músicas que ajudaram a definir a massa corpórea do Mr. Big nos anos iniciais - retorna revitalizada e ainda mais pesada.

Eric Martin. Foto: Ana Bittencourt
“Wild Word”, hit absoluto de Cat Stevens, regravado pela banda no álbum “Bump Ahead” (1993), ganha o coro de 1.200 fãs. “Rock and Roll Over” e “Around the Word” mantém a bola picando até o solo de Billy Sheehan, um dos maiores monstros do contrabaixo em todos os tempos.  Se algum desavisado presente por acaso desconhecia isso, certamente lembrará para sempre dessa noite depois de assistir a performance do músico. “Addicted to That Rush” é puro exibicionismo e espírito festivo, com Gilbert e Sheehan atuando como dois espadachins pinoteando em frente as luzes. 

Billy Sheehan Foto: Ana Bittencourt
Na pausa programada antes do bis, a banda parece tão quente que resolve seguir adiante sem intervalo para desnecessárias trocas de figurino ou simples desculpa para simular uma falsa despedida. Sim, eles não arredaram pé do palco. É quando certa música, único número 1 do Mr. Big nas paradas de sucessos dos Estados Unidos é tocada sem aviso prévio. “To Be With You” pertence aquele naipe de canções encravadas no imaginário musical dos anos 1990, hit absoluto do grupo e marca do vocal de Eric Martin, um cantor que não perdeu potência e tessitura vocal com o passar dos anos, além de perfeitamente desempenhar o carismático papel de líder do quinteto. Em “Colorado Bulldog”, Sheehan mostra sua habilidade em simultaneamente tocar baixo e beber um gole de cerveja direto do gargalo. Já “1992”, segunda peça da noite de "Defying Gravity", música que relembra o ano de maior sucesso comercial do grupo, destaca o cruzamento das vozes dos cinco integrantes cantando o refrão em uníssono, ao melhor estilo Beach Boys.

Paul Gilbert. Foto: Ana Bittencourt
E como grand finale, e já antecipando um dos grandes shows que passarão pelo RS nos próximos dias, o Mr. Big desembainha sua versão de “Baba O’Riley”, um dos maiores sucessos do The Who, em releitura que coloca no rosto da multidão sorrisos de satisfação às 22h55, horário em que finda o espetáculo. Não canso de dizer: que grande lugar é o Bar Opinião para se assistir um show de rock! Grande/pequeno local em que presenciei ao vivo ídolos como Bob Dylan, Mark Farner (Grand Funk Railroad), entre outros, e templo musical onde tudo fica muito perto. E ver o Mr. Big ao vivo coloca outra marca significativa na minha memória afetiva. A realização do evento em Porto Alegre teve o protagonismo da Abstratti Produtora. Próxima quinta-feira (24), o grupo toca em Montevidéu, e depois segue o tour sul-americano Chile, Argentina, Peru e Colômbia.

***

Setlist Mr. Big Porto Alegre (22/8/17)


1. Daddy, Brother, Lover, Little Boy 

2. American Beauty

3. Undertow

4. Alive and Kickin'

5. Temperamental

6. Just Take My Heart

7. Take Cover

8. Green-Tinted Sixties Mind

9. Everybody Needs a Little Trouble

10. Price You Gotta Pay

11. Paul Gilbert Solo

12. Take a Walk

13.Wild World

14. Rock & Roll Over

15. Around the World

16. Billy Sheehan Solo

17. Addicted to That Rush

18. To Be With You

19. Colorado Bulldog

20. 1992

21. Baba O'Riley .

Foto: Ana Bittencourt

Foto: Ana Bittencourt

Foto: Ana Bittencourt

Foto: Ana Bittencourt

Foto: Ana Bittencourt

Foto: Ana Bittencourt

Foto: Ana Bittencourt


Foto: Ana Bittencourt


Foto: Ana Bittencourt

Foto: Ana Bittencourt

Foto: Ana Bittencourt

Foto: Ana Bittencourt


Foto: Ana Bittencourt

Foto: Ana Bittencourt

Nenhum comentário:

Postar um comentário

ÚLTIMA COBERTURA:

COLDPLAY - PORTO ALEGRE, 11 DE NOVEMBRO DE 2017

Foto: Ton Muller # Texto Ana Bittencourt Fotos Ton Muller Cultivar expectativas não é muito a minha praia. Essa é uma postura que...